sexta-feira, 18 de março de 2011

Sobre tudo o que aconteceu...

Nossa gente...
Eu não sei, mas acho que realmente devo ter algum problema, algum trauma escondido ou sei-la, simplesmente sou desesperada mesmo e deixo as coisas maiores do que são...
Para mim, o mais difícil não foi ter passado por todas aquelas situações acontecendo ao mesmo tempo... Para mim era muito difícil lidar com meus próprios sentimentos... Eu tenho um medo, pânico, não sei que nome dar, mas é um temor absurdo de que algo ruim aconteça com o Pietro e tenho uma forte tendência em querer protege-lo demais (eu acho)... Todas as vezes em que meu filho precisou ser examinado ele fez um escandalo... Para as radiografias então, nem se fala... Eu, o pai e até um enfermeiro precisava segura-lo para radiografar e força-lo à algo que ele não quer estando doente estava me matando...E para mim, submete-lo á tudo aquilo, mesmo sabendo que era para o bem dele, me deixava muito mal... Eu chorava muito depois de tudo e tinha um sentimento de impotência que me paralisava de vez em quando... No decorrer de tudo, ver que todos os meus esforços (levar ao medico, dar os remédios, estar com ele minuto á minuto quando voltei da cirurgia) não estava resolvendo me deixava desesperada... Eu me sentia tão fragilizada, meus olhos marejavam à todo instante ao olha-lo, ao pensar nele, o medo, a insegurança, a falta de saber com certeza o que fazer me deixavam meio desestabilizada... Eu não consigo medir  a gravidade do problema entendem? Seja ele pequeno ou grande, quando o assunto é o Pietro, sempre toma proporções bem maiores... Tudo é muito grande, tudo pode fazer mal à ele...
Eu acho que preciso tratar isso... Sério... Olhando ao meu redor não vejo mães assim sabiam? Vejo mães preocupadas e algumas até bem relapsas... O filho tá doente, tá com febre e elas apenas dão um remedinho e pronto... Uma simples febre já me faz pensar no quanto o corpo do meu filho deve estar cansado, molinho, por conta disso... Quando ele deixa de se alimentar, já penso no quanto pode ficar debilitado e consequentemente piorar... Enfim...
Meu maior sofrimento nessa história toda é saber que situações como essa podem e vão se repetir e eu preciso realmente ter mais estrutura para lidar com elas. Acho que eu sempre faço o que precisa ser feito, mas deveria relaxar um pouco mais, sei-la... Não poder estar presente pra cuidar do Pietro em um momento em que ele precisou tanto de mim também me fez sentir muita culpa... Eu sei que eu não pude prever e nem controlar o que estava acontecendo, mas acho que deveria estar lá com ele... É assim que eu sinto, pode  até não ser o certo...
Enfim...
O tratamento com o antibiotico está terminando, ele está bem melhor embora a tosse ainda venha algumas vezes por dia...
Eu espero que fique tudo bem logo...

12 comentários:

O mundo da Dani disse...

amiga querida, tb sou superrrrrrrr neura com o davi... se ele começa a ter febre ja começo a ter dor d barriga e se chegar a 39 começa me dar uma tremedeira.... mas tudo isso que aconteceu com vcs, foi num momento q vc estava fragilizada com a cirurgia e tudoooooooooooo ao mesmo tempo... não é facil mesmooo
mas vc foi uma guerreira, fez tudoooooo por seu filhote mesmo estando operada....affffffff
beijaooooooooooo e um abraço bem apertado.....

Alethéa disse...

Não fica assim... acho que existem "mães" e "mães". Mãe, definitivamente, não é tudo igual.
Acho a sua preocupação muito saudável sim, pois, desta forma, você sempre fará o melhor para o seu filho. Fica bem. Abraços.

Simone - Mariana minha flôr disse...

Alê só agora vi os acontecimentos dos ultimos dias, espero que esteja bem, eu tive pedra na visicula na miha gravidez, sofri muuuuuuuito, fiz uma dieta rigorozissima posi não podia operar, quando a Mariana tava com 1 ano não pude mais adiar, tava quase com infecção e isso era muito perigoso, podendo até ir a obito, Deus me livre, operei com urgencia, tirei a visicula com 17 pedras, verdade, tinhas crises horriveis, mais depois nunca mais tive nada, só engordei um pouco pq aí pode comer de tudo né. Quanto ao Pietro, relaxa pois é assim mesmo, eu consigo me controlar pq se não segurar a onda a coisa pega, meu marido é meio nerotico com isso.
Beijos

Bibi Elias disse...

Alê, seus posts desses útlimos dias mexeram muito comigo. O de hj especialmente... Pq infelizmente eu sei exatamente como vc se sente. Sou igual a vc. Tenho sentimentos exagerados em relação ao Theo. Sempre penso p/ frente, e sempre em coisas ruins. Uma simples febre tb me deixa arrasada. Penso sempre no que pode se transformar. Tenho muitos medos em relação ao Theo. Tenho medo pavoroso de perdê-lo ou de morrer e deixá-lo. Eu me obrigo a rezar e repito várias vezes p/ mim mesma qdo o pânico vem, que tudo isso é coisa da minha cabeça e que vai passar. Eu fico domando meus pensamentos, funciona, mas eu sofro absurdamente. E desnecessariamente. Já diminuiu um pouco, qdo Theo nesceu era muito pior. Faço exercício diário de controlar minha mente pq qdo ele crescer e ficar + independentezinho, eu vou sofrer muito mais. Espero estar mais tranquila até lá! Mas é um esforço que tem que começar de agr.
Eu sei o que vc passa e sei que é muito ruim. Não colhemos nada de bom nisso tudo!
Espero que vc tb consiga relaxar mais...
Beijinhos,
Bibi

rainha da inglaterra disse...

eu corro pro hospital quano o joao ta com febre!
uiii...
bjooossss

Nine disse...

Oi Alê! Você não é neurótica, não, rsrsrs, é apenas mãe! Eu tb surto sempre que a Ísis tem algo que eu não consigo identificar. Lógico que com o tempo e as repetições dos sintomas, as idas ao pediatra e ao PS, a gente acaba até ficando craque e isso nos traz mais segurança.

Mas eu me lembro que no ano passado quando a Ísis começou com tosses que não paravam e coriza intensa meu coração ficou aflito! Foram meses e meses sem saber direito o que fazer, até o diagnóstico de bronquite (ou asma). Daí veio o tratamento, mas as crises continuavam e a cada uma eu entrava em parafuso, surtava mesmo, chorava horrores com ela no colo no PS, enfim...Depois de tantas aprendi e ver os sinais e a medicar antes do agravamento, mas sempre observei muito.

Melhora um pouco, mas acho que nunca vai passar, não!

Sobre a tosse verifique se não pode ser bronquite ou bronquiolite...elas costumam deixar o baby com muita tosse, que piora a noite.

Obrigada pelo carinho lá no blog!

Beijos,
Nine

Karine e Rafinha! disse...

oi querida..sabe pq. vc se sentiu assim? pq. vc é mãe de verdade! é isso aí, não foge da luta...ter filho é um sofrimento mesmo, mas depois vem a alegria de vê-los bem e saudáveis....hj na missa rezei por vcs...a lembrança de suas palavras preocupadas vieram muito forte em meu coração....tenha fé, tudo vai se acertar e pode se preparar, pois esses momentos são rotineiros, o bom de tudo é que eles nos deixma mais fortes pra enfrentá-los...tudo pelos nossos filhos....bjs

O lord da diva disse...

Amiga não te culpo não pois também sou assim. mais sei que isso me faz mal...
O jesus é tão complexo tudo isso né?
Mais ao mesmo momento todos enxergam que é nítido o amor que temos por esse seres! e se pudéssemos trocar de corpo para faze-los se sentirem melhor nós nao pensaríamos nem meia vez!! Isso é ser mãe amiga :)
Beijinhos e ótima semana

Briza, Marcelo e Theo disse...

Oi, Ale!
Conversei com ela sobre a tosse contínua e forte. Ela falou que o ideal é ir num pneumologista, pois o pediatra realmente avalia o quadro geral e num caso tão persistente o ideal é ir a fundo.
Eu tenho um probleminha com o Theo e terei que ir a um especialista tb... a principio nada grave, mas vamos investigar.
Precisando de qq coisa, me avisa por e-mail ou pelo blog que eu passo pra ela.
brgozzi@uol.com.br
Bjs

Ana disse...

Oi querida,
o que te aconteceu realmente não foi fácil. Ficar doente, sem poder se levantar e ver o filho doente, derruba qualquer uma.
Pietro é novinho ainda, qualquer febre assusta mesmo. Com o tempo vc vai conhecendo mais ainda seu menino e como ele reage as doenças.
Vc será capaz de dar o dianostico antes do medico. Rs
Aí vc vai ganhando mais segurança, mais controle.
Que bom que ele continua melhorando!
Beijos!

Mamãe da Elô disse...

Oi querida,
Vc não é a unica, eu tb sou "dramática" (se é que podemos dizer isso)quando o assunto é Eloise, pode ser uma simples virose, eu largo tudo pra cuidar e ficar com ela, e sempre que faço isso, a recuperação dela é bem mais rápida, afinal faz toda diferença a mãe por perto nao é msm??
Bjosssssssssssss

Caroline Pozzatti disse...

Ale, voce deve sr uma mae otima, linda de mais.
Nao se culpe por todo amor que voce tem com seu filho. Meu bebe so nasce em agosto e eu morro de medo por ele. Se preocupe com voe mesma o dia que voce nao se preocupar mais com ele.
Super beijo!
Carol

www.babiesetal.blogspot.com